Fim-de-semana

manhã / morning by you.

irmãs by you.

Estamos de novo em casa de uma amiga. A sorte que é ter amigos que nos dão guarida e mimo. A nossa casa ainda não voltou à normalidade, já lá vão quase dois meses.  Espero esta semana voltar a ter uma casa-de-banho funcional. Até lá exploramos a nova casa e o novo bairro .

Descobertas

typographie by you.luz by you.
Às vezes descubro tesouros escondidos na grande estante da minha sala. Livros preciosos que li ou namorei durante um tempo e que a seguir guardei cuidadosamente. Esqueço-me deles e eles lá ficam, à espera de um dia me tornarem a surpreender. Este livro fabuloso foi-me dado por uma amiga há uns dez anos. Escolheu-o para mim por causa da minha profissão e do meu gosto por tipografia. Há uns dias reencontrei-o e percebi que sempre esteve ali à espera de aparecer no momento exacto em que eu tivesse uma filha de cinco anos a aprender francês e a descobrir o mundo fascinante das palavras escritas.
E há lá coisa mais cool do que ter uma mãe blogger? Bem-vinda, mãe!
BOÎTE À LETTRES – LE LIVRE-JEU DE  L’ÉCRITURE
Valérie Guidoux + Joelle Jolivet
Seuil Jeunesse, 1995 

Falar, falar, falar

abc by you.

A L. fala muito. Muito. Fala, fala, fala. O dia todo, sem parar. Hoje esteve doente e ficou em casa. E falou, falou, falou. Fez-me rir imenso; pediu-me muitos mimos (ela pede mesmo. “Mãe, quero mimos”. E eu dou); teve opinião sobre este mundo e o outro; durante meia hora achou que me conseguiria convencer de que a única maneira de irmos buscar a R. à creche seria se eu a levasse ao colo; esborrachou a irmã com abraços e beijos – “É que ela tem um pescoço tão macio”; e falou, falou, falou.

Às sete da tarde, naquele momento do dia em que eu muitas vezes acho que vou adormecer em pé antes delas as duas, pedi-lhe – “Agora por favor fica calada só um bocadinho, está bem? Dois minutos”. E ela respondeu-me – “Não posso”. “Porquê?”. “Porque se me calar o meu cérebro incha”.

Cheira-me que os cinco anos serão a idade das conversas hilariantes entre nós as duas.

BRUNO MUNARI’S ABC
Bruno Munari
Chronicle Books, 2006

Rosa sem medo

sem medo by you.

domingo by you.

quadrados by you.

Tem como actividades preferidas do momento tudo o que implique tirar os pés do chão. Subir o escadote, galgar degraus de escadas, trepar para cima de bancos ou mesas, baloiçar-se na rena de madeira a uma velocidade maluca, sentar-se numa cadeira alta com os pés a abanar de felicidade – esta é a sequência de acontecimentos de um dia normal. Passo o tempo a salvá-la do risco de cair, tropeçar, desequilibrar-se, entalar-se, ser pisada, empurrada e qualquer outro tipo de acidentes. Tudo isto sem ter ainda começado a andar sem apoio.

Muito diferente da irmã (e de mim própria, conta-me a minha mãe) que com esta idade era toda cautelosa e media muito bem onde devia pôr os pés para não cair. 
É destemida, a minha filha mais pequenina. O mundo é dela. Sem medo.
    

Porto seguro

menina crescida by you.

quiosque by you.

Ofereci à L., como presente de menina crescida de cinco anos, um lugar só seu na grande mesa de trabalho cá de casa. Servirá para os trabalhos que já traz da escola, e que adora fazer, e também para os desenhos, pinturas e recortes que até agora eram feitos na mesa de lioz da cozinha. E servirá principalmente como porto seguro, fora do alcance das mãozinhas curiosas da pessoa mais pequena que por aqui anda.

– – –

Estou  cheia de curiosidade sobre o destino que terá este quiosque que há anos definhava no nosso jardim e que agora está lindo, todo recuperado e pintado de fresco com duas cores muitissimo bem escolhidas.