Monstros em casa

max... by you.

... et les maximonstres by you.

pesadelo by you.

Das duas bibliotecas do costume (esta e esta), vieram dois fabulosos livros criados nos anos 60 que encheram a nossa casa de monstros. Só a R. ainda não os conhecia e a página de que mais gostou foi a única em que aparece um cão, um dos temas favoritos do momento.

– – –

Eu adorava saber quantas pessoas frequentam bibliotecas regularmente. Tenho a sensação de que poucas. E não consigo entender porquê. Haverá melhor coisa do que ter milhares de livros à disposição a custo zero? [Nas Bibliotecas Municipais de Lisboa a consulta e o empréstimo de livros são gratuitos. No caso da Mediateca do IFP o valor da anuidade é próximo do preço de UM só livro comprado numa livraria).

MAX ET LES MAXIMONSTRES
Maurice Sendak
L’école des loisirs, 2006

UM PESADELO NO MEU ARMÁRIO
Mercer Mayer
Kalandraka Editora, 2004 

Advertisements

17 thoughts on “Monstros em casa

  1. Eu desde sempre que as bibliotecas são dos meus locais preferidos. E quando se cresce numa pequena vila onde o ponto cultural é precisamente a biblioteca, ainda mais importante esta se torna. Nunca teria tido a possibilidade de fazer tantas descobertas literárias se não fosse a biblioteca, na altura Gulbenkian, e agora municipal. E aquele prazer de percorrer as estantes e deixarmo-nos surpreender por um título, por um tema, é único.E acho que só quem faz das bibliotecas um espaço seu consegue compreender a sensação que os livros que vêm connosco, mesmo no fim de devolvidos continuam a ser nossos, mesmo que guardados nas estantes ou em itinerância nas mãos de outros leitores. E só assim faz sentido, este movimento de partilha.
    Quando estava em Lisboa a estudar também costumava frequentar a mediateca do IFP(uma delícia)e a biblioteca de arte da Gulbenkian(onde infelizmente não podemos trazer os livros connosco).
    Outro dos meus prazeres em Lisboa era também ir até aos alfarrabistas.
    Gosto muito de visitar o teu blog.

  2. Eu também frequento bibliotecas e acho que são muito pouco aproveitadas principalmente nos meios pequenos. Das vezes que lá vou está sempre deserta. Os pais deviam ser os primeiros a incentivar os mais pequenos para a leitura e a passar algum tempo a descobrir livros

  3. Je découvre votre blog aujourd’hui et je regrette bien de ne pas mieux lire le Portugais! Merci, je me régale! Et chez nous aussi max et les Maximonstres a eu beaucoup de succès! A bientôt

  4. Costumamos ir às bibliotecas de Oeiras e para além dos livros/ novidades que estão sempre a chegar, têm uns programas óptimos, especialmente para os dias muito quentes e muito frios. Ao sábado.
    O ‘pesadelo do armário’ veio de lá… passar uns dias a nossa casa.

    Maria João

  5. Também sou adepta das Bibliotecas apesar de nos últimos tempos praticamente não ter lá posto os pés.
    Estou a reconsiderar, principalmente por ela, mais do que por mim.
    No Porto, a área infantil está bem estruturada com bastante variadade (livros, jogos e cpus). A próxima visita vai ser lá e com ela.

  6. (: Eu adoro biblotecar, infelizmente a vida de estudante levou-me para outra cidade onde em vez de mais uma dezena de bibliotecas tenho apenas uma.
    na altura dos exames é certo e sabido que me passeio nesses “palácios de papel”

    Mas o meu cartão continua a circular pelas amigas e até a mãe já fez o dela.

    :)

    gosto muito do seu blog* obrigada pelas doces imagens e palavras*

  7. as bibliotecas salvaram-me a infância e a adolescência. os meus pais compravam-me livros, mas nunca me chegavam. quando descobri a biblioteca da Gulbenkian(em Portalegre)tinha cerca de 10 anos e fiquei maravilhada: podia levar para casa 3 livros de cada vez!…ia à biblioteca religiosamente todas as semanas, por vezes mais que uma vez. Agora frequento muito a biblioteca de Arte da Gulbenkian (Lisboa)e por vezes a do Palácio Galveias, mas no geral prefiro comprar os livros que leio (já tenho a minha própria biblioteca…).
    No interior do país a maioria das bibliotecas da Gulbenkian tem sido reabilitadas e transformadas em bibliotecas e mediatecas municipais e no geral parece-me que têm muito mais peso na comunidade do que acontece em Lisboa.

  8. Nada mais fantástico que a iniciativa da Fundação C. Gulbenkian, quando percorria o país com a biblioteca às costas… assim toda a gente tinha acesso aos livros!
    Lisboa oferece tantas possibilidades, por isso aproveito para louvar a Biblioteca Municipal de Tábua (300 km da capital) que tem vindo a desenvolver um trabalho extraordinário com livros infantis, hora do conto e demais projectos à volta do livro. Gostava que houvesse muito mais câmaras a apostar nisso.
    Bem hajas Inês por abordar o assunto, na esperança que de facto sensibiliza muita gente.
    É importante ler. Ler é aprender!

    • Diane: quando me inscrevi nas Bib. Municipais de Lisboa fi-lo numa dessas carrinhas da Gulbenkian que até há pouco tempo costumavam estar no Príncipe Real de 15 em 15 dias. Tem um charme especial, uma carrinha-biblioteca.
      A vila de pescadores algarvia onde passamos férias todos os anos tem uma biblioteca da Gulbenkian e por causa disso quase não levamos livros nas malas. Quase!

  9. nós não vamos mas vamos passar a ir. obrigada pela dica; não fazia ideia que tinhamos uma (camões) mesmo ao pé de casa…

    • s: este post já serviu para alguma coisa, que bom :)
      a secção infantil da b. camões parece à primeira vista não ter muitos livros bons. e, de facto, tem muitos maus. mas vale a pena explorar as prateleiras porque há imensos que valem a pena e por vezes encontram-se mesmo algumas preciosidades. e depois também é boa ideia procurar no catálogo on-line porque podes pedir livros de todas as bibliotecas municipais de lisboa.

  10. Olá!
    Tenho de confessar, nunca levei livros de uma biblioteca para casa (excepto da escola). No tempo em que ainda não havia computadores ia sim consultar livros à Biblioteca Municipal do Porto para fazer trabalhos para a escola!
    Tinha muito livros em casa para ler, os meus pais devoram livros.
    Gosto de saber que aquele livro me pertence, que o posso ler quando quiser, tenho uma relação muito física e possessiva com os meus livros.
    Beijinhos

  11. eu ADORO as bibliotecas municipais. Gosto muito da ideia de um livro passar por várias pessoas e adoro encontrar anotações ou bilhetes perdidos.Tenho duas por perto e costumo pedir bastantes livros. Bom… costumava porque os meus novos horários de trabalho são totalmente incompativeis com o horário das bibliotecas. vale-me os sábados, mas como alternam é uma confusão…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s