Reciclar

velho vira novo by you.

velho vira novo by you.
 
Estou a reciclar um saco-cama antigo. É todo de algodão macio e adoro as cores e o padrão. Cortei dois rectângulos para fazer duas mantas pequenas para as camas da L. e da R. e ainda sobrou um bocado com que tenciono fazer um saco. Tirei-lhe o fecho e agora só falta fazer a parte de que gosto mais — o debrum. Já me estou a deliciar com a ideia de passar umas horas a fazer pontinhos invisíveis.
 

Da biblioteca

da biblioteca by you.
 
Tenho de devolver à biblioteca estes dois livros mas estou com dificuldade em me separar deles. O primeiro, “Os dois corvos”, que já tinha requisitado uma vez, é um conto de Aldous Huxley ilustrado por Beatrice Alemagna e é tão bonito que apetece emoldurar e pôr na parede. O segundo, “Fanny e Alexandre” — o argumento escrito por Ingmar Bergman — é cheio de fantasmas que atormentam as crianças, palacetes e veludos vermelhos, neve e trenós, teatros decadentes e velhas actrizes suecas. E, no meio disto tudo, imenso humor e imenso amor. O perfeito livro de Inverno. Agora apetece-me rever o filme de que já mal me lembro.

OS DOIS CORVOS
Aldous Huxley + Beatrice Alemagna
Dom Quixote, 2005

FANNY E ALEXANDRE
Ingmar Bergman
Assírio e Alvim, 2006 

Miso

sopa de miso by you.

sopa de miso  by you.
 
Para me estrear a acolchoar à máquina, e não à mão como aqui, fiz em 15 minutos uma pega / mini-individual / base para tachos com um dos meus tecidos africanos preferidos de sempre que até hoje não me tinha atrevido a cortar. Fez-me ficar com vontade de acolchoar tudo à minha volta e serviu para pousar a sopa de miso, minha grande aliada contra as constipações e demais maleitas de Inverno, nomeadamente quando a alma começa a ficar mesmo, mesmo farta de tanta chuva.
 

101 anos

presente de natal by you.

para mim by you.

para as bonecas by you.

A prenda mais deliciosa que recebi neste Natal foi-me dada pela minha irmã e feita por uma senhora com 101 anos. Tenho imensa pena de não poder mostrar aqui todos os conjuntos de pegas e base de trapilho que o resto da minha família recebeu. Todos diferentes, todos com cores lindas e tudo uma perfeição de fazer inveja. As pegas mais pequenas — para brincar com as bonecas — foram a prenda da L.
Eu também queria chegar assim, com tanto talento, aos 101 anos!