A casa

1. A luz e o tampo de lioz do armário que comprámos por 15 euros (e que um dia destes hei-de mostrar aqui) são aquilo de que mais gosto na cozinha nova.
2. Adoro espaços com o pé-direito alto mas há qualquer coisa de muito mais confortável num quarto com o tecto esconso.
3. Ainda temos muitos cantinhos de tralha por resolver mas, aos poucos, esta casa vai ficando mesmo a nossa cara.

Duas filhas

A primeira não gosta lá muito de saias e por isso só vestiu esta uma vez. A segunda adora tudo o que considera assunto de meninas. Hoje lá foi radiante para a escola, a fazer piruetas para mostrar a roda da saia nova.
A primeira é gulosa e pela-se por doces. A segunda prefere mil vezes um pastel de bacalhau a um chocolate, ou um prato de azeitonas a um chupa-chupa.
Se eu só tivesse uma filha teria uma vida muito mais sossegada. Mas muito menos divertida também.

Num dia entro no Palácio Nacional de Queluz e fico deslumbrada com a opulência faustosa dos lustres e das sedas que cobrem as paredes. No dia a seguir fascinam-me os azuis do tule ultra-sintético dos figurinos em preparação para as Marchas de Lisboa.
Sou um mundo de contradições.