Obrigada e uma prenda

photophoto
Para agradecer aos leitores deste blog que, mesmo quando desapareço por uns tempos, continuam a visitar-me e a escrever-me coisas simpáticas, aqui está uma prenda em forma de alcofa de bonecas.
Para a ganhar só é preciso fazer uma coisa. Ou melhor, duas coisas. Contarem-me (aqui nos comentários ou aqui) qual é o brinquedo de infância que melhores recordações vos deixou e fazer like na página de Facebook do blog (quem ainda não fez, claro está).
E não vale concorrer só quem tem filhos! Toda a gente tem uma sobrinha, um primo pequenino, a filha de uma amiga ou da vizinha da frente, um bebé na barriga que há-de chegar ou um bebé na cabeça que ainda há-de ser feito.
E os rapazes que lêem este blog que não se escondam. Falem-me lá dos vossos Action Men, dos carrinhos da Matchbox ou dos soldadinhos da Airfix (hmm… fui informar-me com o rapaz aqui de casa).
O sorteio será no dia 4 de Abril à meia-noite.
Boa sorte e obrigada!
Anúncios

127 thoughts on “Obrigada e uma prenda

  1. O brinquedo que marca a minha infância é sem duvida os berlindes. De várias cores e tamanhos… Tínhamos de acertar no berlinde dos adversários e caso acertassemos no berlinde, ganhavamos aquele para nós!

  2. O brinquedo que recordo, numa infância há muito passada, é a escova que a minha mãe usava para limpar o pó de giz dos fatos do meu pai, professor de profissão. Enrolada num pano gasto de cozinha, roubado à sucapa da bancada, era embalada por mim que a olhava, via e sentia como a mais linda boneca do mundo. Adivinhava-lhe os olhos doces e os cabelos dourados,. chamava-lhe bebé. Foi há quase 60 anos,qundo não havia plástico e as bonecas de porcelana eram muito, muito caras. Passaram quase 60 anos mas ainda me lembro dela.

  3. Olá Inês!

    O brinquedo que mais gostava quando era miúda e ia comigo para toda parte hoje faz as delícias do meu mais novo, que o conserva nas prateleiras do móvel da sua cama e com quem por vezes tem um tête-à-tête à noite: um macaco de tecido felpudo e colorido, com uns braços, pernas e cauda muito compridos e delgados, a quem dei o nome de Square, pois a barriga dele é aos quadrados amarelos e brancos. Passava horas agarrada a ele.

    Obrigada e parabéns pelo blog e o teu maravilhoso trabalho. <3 Bj

  4. O meu brinquedo de infância que melhores recordações me deixou, foi uma bonequinha moranguinho pequenina que tinha um cheiro a morango, me fazia tão feliz, até hoje tenho saudades, abraçava-a com tamanha força que me protegia de todos os meus medos de infância e fazia-me sonhar!

  5. Inês, o brinquedo de infância que mais me marcou foi um arco de ginastica ritmica. eu não adorava eu simplesmente amava. Foi um presente oferecido pelos meus pais no meu segundo aniversário. Ainda tenho recordações das brincadeiras. Passava horas a brincar com ele. mais ou menos um ano depois deixei o arco junto ao portão de casa aberto e levaram-me. A minha mãe conta-me que chorei imenso e que todos tiveram imensa pena. Não tive mais nenhum. Só as fotografias que adoro ver e das quais sou apaixonada.

  6. Uma boneca que eu mesma fiz, em pano…. De tão velhinha que era, a traça comeu parte… De tão velhinha que era, as linhas partiram-se… Caiu-lhe um olho… Depois um braço… E depois, um dia despedi-me dela, porque ela ja não estava capaz de suportar o sorriso dela…. :) mas, como alguém me disse, a morte é só o inicio de muitas belas recordações…. Que foram o que restaram, e uma ou outra fotografia!
    Parabens, pelo trabalho perfeito! E pelo blog!

  7. três nancys. em 77, talvez. a avó ensinou-me a fazer crochet para as vestir. eu gostava muito. as cores das roupas tinham uma cor diferente sobre o branco e sobre o preto. o preto que que não era preto mas castanho. preto era o cabelo. esse sim, preto. eram três nancys. a loira a ruiva e a preta. eu tinha uma preferência pela preta. porque era diferente. e nelas as cores vibravam mais. como os morangos e os kiwis postos em pratos pretos. ou castanhos. ou azuis muito escuros.

  8. Apesar de ter feito uma pequena colecção de Barriguitas, adorar patinar… O que mais me divertia eram os barcos que o meu Avô fazia na casca da madeira, que encomendava antes de o Inverno chegar, para mim, para o mano e o primo. Depois íamos fazer corridas de barco para o rego de rega do quintal da Avó. Era mesmo divertido e o que nos riamos os 3 :D
    Agora fiquei com saudades

  9. Olá Inês! É difícil escolher o meu brinquedo preferido, mas um que me deixou óptimas recordações de brincadeiras sem fim foi uma pequena casinha de bonecas que herdei da minha mãe. Era muito engraçada pois as divisões tinham papel de parede, luzes de verdade no tecto, uma casa de banho a preceito, escadinhas a fazer a ligação entre os dois andares e um sótão. Infelizmente, um dia resolvi “fazer obras” na casinha e acabei por pintar o papel de parede e encher a casa de cola. Foi com a melhor das intenções, mas lembro-me que a minha mãe ficou bastante triste com o resultado final!
    Bjs

  10. Lembro-me bem da minha caminha de bonecas, que a minha mãe comprou nos Armazéns do Chiado em finais dos anos 70. Trabalhava na parte administrativa e quando a viu, fez um esforço por trazer-me. Era um paraíso a secção de brinquedos…
    Em tubo de ferro cromado, com algumas espirais em varão fino, era grandinha… Cabiam lá uns quantos bonecos! E era tão bom aconchegá-los com os lençóis e mantinhas que a minha mãe fazia, com restos e amostras de tecido.

    Quanto tive a Clara, pensei em dar-lhe uma caminha para por o seu coelhinho preferido, por isso dei-lhe uma das tuas micro-alcofas. Que ela ainda leva para todo o lado para deitar cada boneco que lhe aparece à frente.

    Passado algum tempo, a minha mãe, que guardou a minha caminha de há trinta e tal anos, limpou-a, fez-lhe novos lençóis, almofada, manta, colchão… para que a minha filha pudesse deitar os bonecos na minha velha caminha quando vai a casa da avó… <3

  11. Olá,Inês! Da minha infância recordo-me com muita saudade de um cavalinho de madeira branco e vermelho…dos pratos,chávenas e copos de brincar onde eram servidas as “papas” de farinha com água e sempre acompanhadas de folhas e flores que haviam no meu quintal…um sonho!!! E de uma alcofa (tipo saco de compras!) que nos acompanhava sempre nos piqueniques e nas idas ao mercado…tenho uma paixão por alcofas, e foi o que me trouxe até ao “caderno branco” :) A alcofa da minha infância a minha mãe deitou fora numa das últimas limpezas grandes, quando lá fui a casa e dei pela falta da alcofa nem queria acreditar que a nossa alcofa velhinha tinha ido para o lixo! E não descansei enquanto não tive outra alcofa e ainda uma mini alcofa para a minha filha Leonor… Mas estas alcofas da Inês são tão lindas e amorosas que também não vou descansar enquanto não tiver uma:) e adoro o que escreve sempre tão inspirador! Bom trabalho!

  12. Os brinquedos de que me recordo melhor são duas bonecas: a Paula e a Joana, a quem cortei o cabelo sucessivas vezes até a Joana ficar com a careca à mostra…

  13. Da minha infância, guardo a boneca com que brincava e das roupinhas que fazia com os restos de tecido das aplicações dos lençóis de bebé, em Bordado Madeira, que a minha avó bordava! Era assim que se brincava há vinte e tal anos no Funchal!!!

  14. Eu lembro-me de estar sentada no terraço ao lado do meu bisavô, que dava os últimos retoques daquela que seria a minha casa de bonecas. Tinha cozinha, sala de estar e de jantar e um quarto. Havia paredes pintadas, paredes forradas a papel, havia alcatifa, haviam móveis de madeira feitos por ele também e outros de plástico que eram tão inovadores para a época!… A casa foi-se com o tempo, o bisavô também mas a recordação e o amor que me transmitiu ninguém mos tira.

  15. Recordo-me, com saudade, de uma boneca que me foi “roubada”. Chorei noites a fio: era a Bilú Tateia. Não me recordo do motivo de a ter batizado assim. MAs não esqueço a sonoridade deste nome!

  16. Olá Inês! Gostei muito de ler os comentários anteriores. A vida antes das playstations era bem mais doce… Quando era pequena, mais do que de brinquedos, eu gostava de livros. Andava sempre com uma mochila cheia deles. Os meus preferidos eram os da colecção “Nuno e Carolina”, as ilustrações eram lindissimas.
    Obrigada por esta oportunidade (espero poder em breve encomendar uma alcofa grande).

  17. Olá Inês,
    Sem dúvida as Barriguitas…. adorava, principalmente uma pretinha….! E as Barriguitas de agora são tão feias :(… são diferentes. As minhas tinham um ar meiguinho :)
    Continuação de bom trabalho!!!

  18. Olá! Eu adorava brincar com as panelinhas. O mais estranho é que fazíamos sopa para as bonecas, algo que nós mesmas não gostávamos!!
    Adorava ver a minha filha a deitar os amiguinhos dela na tua alcofa. :)

  19. Eu tinha e tenho ainda, o meu bebé chorão com 28 anos, que na altura era quase maior do que eu e um leão de peluche que tem a minha idade, 34 anos!!! Foi o primeiro brinquedo comprado pelos meus Pais! O bebé chorão já fui eu que o pedi ao Pai Natal e ele deu-mo! :)

  20. Lembro-me de voltas infinitas com um caleidoscópio bem colorido! E os magníficos Lego, claro.

    A alcofa é linda, como sempre o são!

  21. Olá… tive muitos brinquedos, jogos e livros. Dormia sempre com 3 ursos, tinha um bebé careca como respetivo enxoval e até cheguei a ter uma barbie para a qual fiz muita roupa e até mobílias. Também tive uma Nancy, uma Tucha, muito tachos e fogão, sei lá… adorava todos :)

  22. Lembro-me de ter um boneco chorão, tipo nenuco, que fazia as minhas maravilhas e as das minhas amigas! Principalmente porque tinha um biberão e podíamos dar-lhe leitinho (na realidade era água!),e depois ele fazia xixi pela pilinha! Lembro-me de colocar o chorão à janela, para ele fazer xixi para a rua… nunca as plantas da casa da minha avó que estavam debaixo da janela foram tão regadas como naquela altura! Lembro-me de me juntar uma amiga e brincar com a loiça de plástico cor de rosa que eu tinha: um bule, chávenas e pratinhos e fazíamos lanches de brincar. A minha querida bisavó dávamos bolachas maria, chocolate em pó, leite em pó, e nós misturávamos tudo para fazer papas! Ás vezes comíamos tudo, outras vezes quando a “mistela” não saía grande coisa, lá ia janela fora para as plantas! Bons velhos tempos…. (e o chorão e as loiças ainda existem, já foram “brincados” por mais duas primas minhas e se tudo correr bem, à de um dia também serem brincados pela minha filha quando a tiver!)

  23. Meu brinquedo predileto era uma bicicleta “caloi cross” azul, brinquedo “de menino”, que justamente por isso era o máximo símbolo da liberdade para mim. Com a molecada do bairro fiz um clubinho (o clube do “braço de ferro”), imitando um programa da TV da época, lá nos idos anos 80…
    (adorei a sua volta!)

  24. Eu tinha *muitos* brinquedos, mas as coisas que eu mais gostava eram os livros. Pode ser considerado brinquedo? Eu lia, eu via as imagens, eu metia as bonecas a ler passagens deles, usava os livros maiores como tendas para as Barbies, ou como palcos, até mesmo carros. E tinha um livros sobre pássaros que era o meu preferido – era grande e de capa dura e tinha lindíssimas imagens de todo o tipo de pássaro…

  25. Quando era pequena ganhei uma bonequinha feia, barrigudinha, com os cabelos espetados e duros e mesmo assim, passou a ser a minha preferida. Era a filha dos Flinstons, do desenho animado que passava na TV naquela época e se chamava Pedrita. Essa bonequinha estava sempre presente nas minhas brincadeiras de infância, ora ela era minha filha, ora minha amiga, ora minha aluna nas aulas que dava na minha escolinha imaginária. Nao me lembro quando deixei de brincar com essa bonequinha, mas depois de muito tempo, meu pai a encontrou numa caixa de brinquedos que minha mae guardava. Ela estava ainda mais feia e toda rabiscada com caneta esferográfica, mas para minha surpresa, agradou as minhas filhas que passaram a brincar com ela, exatamente como eu fazia.

  26. Olá e desde já obrigada pela oportunidade
    Vinha mesmo a calhar, já que a minha filhota anda na fase de querer fazer caminhas para todas as bonecas!
    É engraçado como me lembro dos meus brinquedos, ou parte deles, pelo menos, tendo guardado vários que agora andam por aqui ou por casa da minha mãe fazendo as delicias da cachopa
    Havia uma boneca de pano que devia ter pouco mais de 10 cm, feita em tecido impresso a imitar patchwork que eu adorava
    e por ser tão pequena podia levá-la para todo o lado
    Lembro-me de ir de carro com ela encostada ao vidro a ver a paisagem :)
    Agora o brinquedo que mais deve ter “rodado” lá em casa eram os legos
    Conseguia passar horas a construir e a desmanchar tudo de novo
    Assim como a fazer casas de bonecas com caixas velhas e revistas, revistas essas donde ainda se recortavam as figuras que ganhariam vida, transformando-se em bonecos!
    :)
    Lembranças boas e tantas outras

    ps, não consigo evitar mandar um beijinho para a Tia Ana. ler o nome da minha terra fez-me sorrir!

  27. Olá!
    O brinquedo que mais me marcou foi uma tábua de passar a ferro e o ferro, ainda hoje é uma tarefa que gosto de fazer em casa (eu sei, á gostos para tudo ;) ). Recebia-a no natal e quando vi o embrulho até pensei que fosse um bacalhau dado a sua forma ;). Ainda hoje a tenho e neste momento está no quarto da filhota para ela um dia brincar com ela.
    Beijinhos e tudo de bom.

  28. O meu brinquedo favourito era uma boneca tipo “Nenuco”. Não sei o nome em português mas eram esas bonecas iguais aos bebés. Carregavas num botão e mexía a cabeça. Hoje não percebo o que via nela!

  29. Olá Inês,

    em primeiro lugar fico feliz que estejas de volta ao blog, que já estava muito paradinho ;-)

    E em segundo, aqui estou eu a candidatar-me: o brinquedo de infância que me traz melhores recordações, por mais estranho que pareça é uma réplica de um marco dos correios. Era mesmo giro e eu adorava-o. E agora, estou mentalmente a ralhar aos pais que se desfizeram de todos esses brinquedos ;-)

    Um grande beijinho

  30. Olá, Inês!
    No Natal dos meus 5 anos, tive a mais agradável surpresa de criança. No sapatinho lá estavam duas alcofinhas onde dormiam dois bonequinhos iguais. Eram gémeos, uma menina e um menino! E as roupinhas para eles? Era um enxoval tão querido, tão completo! E sempre peças em duplicado. Tudo feito pelas mãos da minha mãe. Nem podia acreditar!
    Sei que tive mais prendas nesse natal, mas confesso, só tive olhos para os meus meninos!
    Passados tantos anos e ao ver esta alcofa não pude deixar de recordar esta história. Como gostaria de a oferecer o provocar numa criança o mesmo encantamento…

  31. Lembro-me de receber num Natal (tinha uns 8 anos), um carrinho/alcofa vermelho para bonecas (onde o meu gato adorava dormir) e o meu primeiro relógio – amarelo. :) Não me recordo de nenhuma outra prenda de Natal na infância. Estas duas devem ter feito sentir-me crescida, talvez.
    Mas o que me ficou na memória e me prendia em brincadeiras nos meus dias, foram – mais ou menos com a mesma idade: umas canetas de feltro que o meu pai me trouxe de Espanha e passar serōes deitada no chão a pintar e um mini trem de cozinha em alumínio e ir prá rua fazer cozinhados com as minhas amigas. Subíamos o monte – em Caxias – e inventávamos fogões e fornos escavados na terra. Muitas pedrinhas, galhos, folhas de árvores e afins cozinhei eu. ;)

  32. felizmente, tive uma infância recheada de muitos brinquedos e tive, principalmente, também a sorte de poder brincar muitas horas do dia ao ar livre no jardim de nossa casa. sempre gostei tanto de brincadeiras de maria rapaz como das ditas de menina. adorava trepar muros, saltar à corda, jogar ao elástico e ao ringue. brinquedos preferidos talvez fossem as barriguitas que o meu pai me trazia nas viagens de trabalho que tinha que fazer, ainda hoje as guardo intactas com todos os adereços, incluindo umas pequeninas alcofas que elas tinham. apesar de só ter rapazes adorava poder ter esta tua alcofa linda… <3

  33. Eu adorava a almofada do Vitinho (ainda está em casa dos meus pais e acho que vou fazer iguais para os meus sobrinhos!), tudo o que desse para brincar às lojas e às secretárias – telefones, agendas, cheques, caixas registadoras, talões de faturas da Papelaria Fernandes e Emílio Braga, etc,. etc., “vendíamos” a nossa roupa, fruta, marcávamos consultas no dentista, íamos à costureira…, e assim se passavam tardes e tardes com as primas e as vizinhas!

  34. ;) Boa Noite Inês….

    Apesar da minha falta de jeitinho para escrever… respirei fundo e cá vai…( o que não fazemos para tentar ganhar uma alcofa linda como esta ;) )

    Ora bem depois de por o Tico e o Teco a trabalhar… lembrei-me de alguns brinquedos que me deixaram marca como um Aspirador que aspirava mesmo ( bolinhas de esferovite :) ),uma Tucha LINDA de cabelo curto…e um jogo dos Correios cheio de cartas carimbos e selos ……

    …Mas eu na verdade não era propriamente dada a bonecas, jogos, carros, etc… o que eu queria MESMO e SEMPRE tanto no Natal como nos Anos eram canetas (de preferência as Carioca ;) ) blocos “queridos”… dossiers e lápis….. muitos… muitos….. nunca seriam demais…. o meu sonho eram as caixas grandes de lápis Caran d’ache… txiiiiii como eu queria….

    …. e num Santo Natal devia ter para ai uns12/ 13 anos tive A PRENDA… em cima da minha cama bem antes de ir dormir estava uma caixa linda de dois andares com 80 lápis Caran d’ache…. foi sem duvida um momento mágico e imbatível….. a minha caixa ….cheia de lápis com tons, meios tons e meio dos meios tons ;) ….. todos afiadinhos e por uma ordem fantástica…
    Passados quase 25 anos de muitas historias ainda é a minha caixa de lápis…. alguns já muito mini mini… mas são sem duvida ainda O Meu Brinquedo preferido…
    Obrigada por este momento de ” Caderneta de Cromos”…. é tão bom recordar… <3

  35. O meu primeiro brinquedo preferido (sim, que isto das preferências vai-se preferindo) foi um ursinho. Com ele ouvi inúmeras histórias. Com ele adormeci vezes sem conta, noite após noite. Por tanto me acompanhar, um dia quiseram-me convencer de que ele precisava de um banho. Que mentira! Claro que não precisava nada de banho nenhum! Eu sabia que aquilo não podia acabar bem… Ainda em lembro de olhar para dentro do tambor da máquina, onde vi um monte de pelos misturados com bocados de espuma amarela! Tiveram de me explicar muito bem o que era aquilo. Foi com esta dose de crueza matérica que me deparei com aquele que foi, de certeza, o meu primeiro grande desgosto. Que terá abalado, mas não matou em mim, de todo, a enorme poética que existe no brincar. O entusiasmo com que mais tarde recebi o Action Man confirmava uma recuperação total. Não estou a falar daquele que tinha sido do meu irmão, de cabelo castanho, ou preto, ou lá o que era. Estou a falar do MEU Action Man. Para além da cicatriz na cara, que o outro também tinha, o meu tinha cabelo russo, mesmo de pelinho, à escovinha. Mas aquilo que o tornava no melhor Action Man do Mundo, para além de ser meu, é claro, eram as mãos de borracha, que lhe permitiam agarrar a pistola automática mesmo como deve ser, com o dedo mesmo no gatilho. E as granadas também. Não era como o outro, cujas mãos rígidas de plástico faziam com que a pistola ficasse sempre a apontar sabe-se lá para onde, feita parva, e fazendo-o a ele de parvo. O meu ganhava sempre, é claro. E sobreviveu a todas as aventuras. Mesmo aos fenomenais voos que fez do sexto-andar, com o seu pára-quedas cor-de-laranja. Às vezes perdia uma bota, mas isso não era nada. O pára-quedas era dos poucos acessórios que tinha. Não havia cá jipes, nem bazucas, nem helicópteros. A certa altura, comecei a fabricar-lhe mochilas e chapéus de cartolina. E umas roupas, também. Ainda está ali, no armário. Um dia destes ainda lhe pergunto o que tem andado a fazer.

  36. Apesar de ter muitas bonecas e brinquedos de menina, sempre adorei os legos, as casas de madeira para montar, as pistas de carros e principalmente o meu robot branco. Que andava e falava espanhol! ;) foi com ele que nasceu a minha vontade para aprender espanhol! Quando se ligava dizia: “Hola soy un robot de otra galaxia. Quieres ser mi amigo?”.
    Há poco tempo reencontrei-o na casa dos meus pais e estou tentada a por-lhe umas pilhas para ver se ainda funciona!

  37. Ola Inês,

    Como é óbvio, não estou aqui para concorrer mas achei imensa piada a este teu desafio e decidi deixar o meu testemunho.
    Não nos vemos há muitos, muitos anos… Talvez há tantos, quantos tem esta pequena história que aqui te deixo sobre brinquedos:
    Foi num 15 de Junho do ano de 197… Não sei qual… Era o dia do meu aniversário. Como sempre, nessa data, aguardava eu que a tia Céu e o saudoso tio Tó, chegassem a casa por volta das 12:30, para ir com eles a correr à Bricarte escolher o meu presente de anos.
    Entre tantas coisas coloridas, bolas, aviões, robots, jogos, barcos a motor, etc… Nada, naquele dia, me encantou mais que uma pequena e simples bola de ping-pong amarela, para espanto dos dois irmãos Céu e Tó, que como sempre me queriam presentear com algo fabuloso.
    Não sei se foi o meu brinquedo de eleição?Mas lá que essa pequena e saltitona bola amarela marcou a minha infância e a minha vida, marcou…
    Beijos e abraços,
    VA

  38. querida inês,
    para perceber os meus “brinquedos” preferidos é preciso saber duas coisas. a primeira que cresci numa casa rodeada de terrenos quase selvagens e poucas crianças à volta. a segunda que sou filha única. na primavera e no verão o meu brinquedo preferido eram umas plantas rasteiras, de folhas largas e cheias de água: faziam parte dos cozinhados que eu inventava – essas folhas eram bifes; em cima punha flores pequeninas a fazer de temperos e acompanhava com ervas e flores (toda uma pioneira da cozinha contemporânea). no outono e no inverno os meus “brinquedos” preferidos eram os sofás, a mesa de jantar e as cadeiras de uma das salas lá de casa. estendia lençóis para fazer tendas e brincava ao Robinson Crusoe, a saltar de tapete em tapete porque o chão de madeira era o mar da ilha (é preciso imaginação para sobreviver enquanto filho único ;)

  39. O meu brinquedo preferido era uma cama de madeira para as bonecas que o meu tio-avô, que era marceneiro, fez :) A minha avó fez lençóis e colchas aos retalhos à medida e a cama ficava muito linda. As minhas bonecas adoravam dormir lá, fosse qual fosse a brincadeira a cama tinha que lá estar. De certeza que a minha filha também vai adorar brincar com a cama, que ainda existe, guardada, por enquanto no sótão da minha mãe…

  40. Inês, tive muitos brinquedos favoritos porque adorava brincar :-) mas para escolher um escolho este com o qual passei muitas muitas horas a brincar e graças à minha mãe ainda podemos brincar! Beijinhos
    Favorite toy ever

  41. Adorava o ioio que era do meu bisavo e que ainda esta na família. Andava com ele para tras e para a frente sempre. E uma cestinha de palhinha onde guardava os meus tesouros. A minha irma tinha uma igual. Lembro-me de uma fotografia onde as duas orgulhosas mostramo-las numa fotografia nos jardins do Estoril, quando os jardins eram jardins ah seria, cheios de flores.

  42. Três brinquedos:
    1. Um coelho de peluche, cinzento e surrado, que dormia comigo e ao qual contava estórias.
    2. Um action-man, com cicatriz na cara e cabelo “à escovinha” preto, companheiro de aventuras de um outro, loiro, que pertencia ao meu primo. Com eles fizemos inúmeros mergulhos às profundezas da banheira e saltos de pára-quedas de plástico, do terceiro andar.
    3. Um motor elétrico da Lego, com o qual construí vários guindastes e carros.

  43. os meus soldados de plástico da airfix! os campos de batalha nos tapetes. as grutas na colcha da cama. os dialogos em inglês inventado, mas que eu jurava serem iguais aos dos filmes da tv. comandos britanicos, nazis, soldados japoneses, indios, infantaria australiana e a cavalaria, à mistura com legos, trapos, carrinhos, seixos, canetas e berlindes. num caixote debaixo da cama…

  44. Olá Inês,
    Os meus brinquedos favoritos eram todos os que dessem para construir qualquer coisa: legos (lembro-me que gostava de fazer elevadores para as bonecas), umas construções em madeira que ainda me lembro de desembrulhar quando fiz quatro anos, mas sobretudo as pedras e paus dos campos à volta do pequeno bairro onde vivíamos. Com eles fazíamos casas, mesas, cadeiras, camas, e depois apanhávamos cerejas, maçãs ou laranjas das árvores ali perto e preparávamos belos petiscos. Também me lembro de dar grandes corridas com os amigos pelos campos fora, perseguidos por algum agricultor furioso, de ancinho na mão a chamar-nos ladrões – não foi assim há tantos anos, perto de 30, mas sinto que cresci num sítio muito especial.

  45. Lembro me que pequena tenha poucos brinquedos, apenas uma boneca nenuco que bebia biberon e mijava na fralda. Minhas melhores recordacaos eram um cesto pèqueno que ainda tenho que servia para esconder o pequeno gato encontrado na rua e primeiro animal da casa. Obrigada por esse concurso e minha menina certeza ficava contente se ganhasse.
    Desculpa os erros devidos ao meu portugues aproximativo e ao teclado frances.

  46. Olá Inês!
    Eu lembro-me de muitos bonecos com que gostava de brincar. Lembro-me das Tuchas, da Margarida, uma boneca de pano ruiva à imagem da qual imaginei filhas que viria a ter, dos pin-y-pons da velha guarda, das velhas barriguitas, de um gorila de peluche, uma pantera cor-de-rosa de tricot que tinha a minha altura, eu sei lá… e os LEGOs, claro. Muito LEGO.
    Mas acho que os meus companheiros de sempre, aqueles com quem passei mais tempo, eram as lapiseiras do meu pai e as canetas Carioca ou Molin.
    Nas tardes que passava, em idade escolar, quase sempre com o meu pai, entretinha-me a desenhar e desenhar, horas a fio. Ou porque estávamos em casa e o meu pai gostava de dormir a sesta, ou porque estávamos no café e ele conversava durante horas com os amigos.
    Eu ficava-me pelas folhas de papel e guardo ainda muitos desses desenhos. Nunca na vida produzi tanto! Nem na faculdade! :)

  47. Olá!
    O meu brinquedo preferido era um polvo muito colorido feito em lã pelas mãos mágicas da minha mãe. Já vai com quase 35 anos de idade e uns belos remendos pelo caminho mas continua perfeito… Perfeito pelos abraços que os 8 braços me davam e pelo carinho com que a lã me beijava o rosto.
    Que bela recordação… As melhores coisas da vida são, sem dúvida, as mais simples…
    Beijinhos!!

  48. O meu preferido era uma boneca, a barbie! Gostava de tudo que estivesse relacionado com ela… :) era sócia dos clubes da barbie, em portugal e até do brasil… Mas esta alcofa fez me lembrar um carrinho de bonecas de palha que ainda hoje o tenho, a minha mãe guardou :) sim, porque não tenho praticamente brinquedos nenhuns, dei os todos a meninos que precisavam e ainda lhes continuariam a dar-lhes vida. Esse carrinho ainda vai alegrar muito a minha filhota, é lindo! A alcofa ia fazer um conjunto lindo!

  49. O meu boneco preferido foi um pequeno rato, cor de laranja. Lembro-me de anos mais tarde, talvez com 12, andar pela casa dos meus pais à procura dele, na esperança de que ainda morasse por lá, mas não, vive agora na minha memória :)

  50. o meu brinquedo preferido eram uns patins cor de laranja que recebi uma vez no natal…caí muitas vezes com eles, mas também me diverti muito :)

  51. Tive muitos brinquedos, fui mimada, mas guardo melhor recordação dos livros. No entanto, há um boneco que ainda hoje lembro tão bem e que sempre sonhei ter (talvez porque foi um interdito). Pertencia ao meu pai. Foi-lhe oferecido quando deu entrada no hospital para ser submetido a uma operação ao coração. Eram os anos 30. A boneca tinha uma cara de porcelana, os membros num pano grosseiro, o vestido de veludo azul. Um azul intenso que enchia a minha vista! Beijinhos :)

  52. Ola Boa tarde,
    Sem dúvida que esta pequena alcofa, me faz recuar na minha infância e lembrar-me das brincadeiras que tinha com as minhas barriguitas. Eu e elas passavamos tempos infinitos a brincar …..

  53. Eu tive uma cestinha/alcofa muito parecida com esta aqui mostrada. A minha mãe fez uma mantinha em crochet e trazia sempre, mas sempre nessa cestinha, uma boneca que eu tinha e que a chamava de “3 pelinhos”. Vejam a inocência de uma criança, dar este nome a uma boneca. Eu chamava-a assim, porque ela era tipo nenuco, careca, mas no meio da cabeça tinha um molhinho de cabelos. Esta boneca era pequenina, media cerca dum palmo do meu pai (era esta a medida que eu me lembro de lhe atribuir quando era pequena). Essa alcofa foi-me oferecida quando eu tinha uns 2 aninhos e eu guardei-a até à bem pouco tempo, um dia em que me distraí e a minha piolha decidiu dar-lhe uma nova cor.

    Não posso negar, na altura senti-me um pouco triste e no estado em que ficou tive de decidir em deitá-la fora, foi um tanto ao quanto doloroso. A minha filha tinha só uns 2 ou 3 anos. Hoje, quase com 5, sabe que há coisas que a mamã guardou para ela, e que devem ser estimadas.

  54. O avô manel ofereceu-me um snoopy de peluche quando fiz cinco anos. Também me lembro de um piano muito muito barulhento, mas de certeza que me fartei dele rapidamente, não fosse eu hoje em dia um zero à esquerda musical. O snoopy era muito mais interessante, e na altura quase do meu tamanho. tornou-se o boneco com o qual dormia e companhia obrigatória nas viagens. Se só pudesse escolher um brinquedo para levar comigo e estivesse indecisa, ia o snoopy.
    Não sei se é do ar dele, do sorriso feito por uma linha de lã preta que com os anos foi ficando um bocado laça, se do facto de nos desenhos animados ele ser um personagem tão giro e tão cool, mas eu sentia mesmo que o snoopy era mesmo meu amigo e embora não me respondesse isso não me impedia de lhe contar tudo o que andava pela minha cabeça até o sono chegar. que eu sempre tive muitas ideias na cabeça que tinham de ser contadas…
    nas viagens de avião que fiz com os meus pais, aos 7 ou 8 anos, o snoopy tinha lugar reservado na metade do banco que eu não ocupava. dividíamos cinto e enquanto eu pintava com lápis aviões em papel que na altura a Tap dava às crianças, e ele ficava quietinho a olhar para as nuvens.
    Numa dessas viagens, dei por mim a atirar repetidamente o snoopy ao ar, como fiz tantas vezes, agarrando-o pelas orelhas, braços, pernas, rodopiando-o e apanhando-o novamente. até que o atirei com força a mais e foi cair no colo de um senhor muito bem posto, de fato e gravata, que olhou para o snoopy com ar bastante entupido e depois para os meus pais cada um mais envergonhado que o outro, e depois para mim.

    • ola inês, o meu brinquedo preferido foi durante muitos e bons anos um boneco de peluche mas com as mãos e a carinha de borracha era vermelho e lindo o nome dele era Alfredo, hoje com 51 ano ainda recordo o meu Alfredo com muito amor e carinho. beijocas

  55. Olá Inês.
    O meu brinquedo favorito era uma Nancy, a qual tinha várias roupas feitas pela minha mãe e pela minha tia. Hoje em dia não consigo encontrar a boneca, mas a minha mãe encontrou as roupas todas e neste momento estão a ser usadas pela Nancy da minha filha e faz-me lembrar muito a minha boneca.
    A alcofa é muito, mas muito bonita.

  56. Oh essa alcofa é linda! E fez-me pensar nos brinquedos, na casa da Serra onde brincava enquanto a minha avó passava a ferro, adorava as minhas Nancy’s uma loira outra morena, a Loira sempre muito arranjadinha a morena sempre com os cabelos desalinhados. Outro dia encontrei o meu ão ão é um cão num cestinho azul, que quando se dava corda fazia ão ão agora está no quarto da Sofia a espera de ser arranjado para voltar a fazer ão ão.

  57. eu sempre fui uma criança (e ainda agora), com muita imaginação, que voava por entre mundos de fantasia e de muita criatividade, onde reinavam princesas, bruxas e muitas personagens únicas que às vezes só eu é que as conhecia, mas ficava fascinada e perdida durante horas nestas aventuras!!! como não havia dinheiro para a mamã comprar brinquedos iguais aos das minhas amigas eu imaginava e construía casinhas das bonecas com pedrinhas pequeninas onde delineava espaços para as bonecas andarem, imaginava as suas cozinhas muito equipadas, na sala, o sofá para se sentarem…num certo dia a minha avó apercebeu-se que eu adorava todo aquele mundo e mandou fazer uma mobílias para as minhas casinhas imaginárias, em madeira maciça e muito pequeninas…Este foi sem dúvida o meu brinquedo preferido, ainda tenho dois móveis guardados para dar às minhas filhas…. para que lhes possa permitir ter uma infância tão feliz como a minha onde reinava a simplicidade, mas muita imaginação… Quando à oito meses atrás tive as minhas duas meninas gémeas, soube de imediato que iria ter a oportunidade de voltar a relembrar e vivenciar algumas das minhas brincadeiras, mas desta vez com esta alcofa tão amorosa que vai permitir que daqui a vinte ou trinta anos quando lhes perguntarem quais eram os seus brinquedos preferidos elas possam responder uma pequena alcofa de palhinha cheia de boas recordações…

  58. O meu brinquedo favorito, que com muita pena minha não guardei para a minha filha, será sempre o meu boneco de cabelo azul, oferecido num qualquer aniversário, que baptizei de Luís! Eramos inseparáveis! Quem diria que um dia o meu marido e pai dos meus filhos seria também ele Luís!

  59. Um ferro de engomar pequeno. Foi inesquecível por dois motivos, porque se ligava à corrente elétrica e aquecia tal como o grande da minha mãe, o que era um orgulho, e porque o descobri entre os ramos da árvore de Natal, vários dias depois do Natal, e soube tão bem.
    Parabéns pelo blog, sabe bem passar por aqui :)*

  60. Obrigada eu, Inês. O blog é sempre uma fonte de inspiração. :)
    Eu era maria-rapaz, gostava era de andar de bicicleta e trepar às árvores. Adorava (e guardei para a minha filha) os livros do Petzi e do Babar e também gostava de brincar às panelinhas com a minha prima. Não sei bem porquê, fazíamos sempre sopa!

  61. olá, uma prenda valiosa…comentários de além mar são válidos, mas precisamente Brasil, Rio de Janeiro?
    caso impossível , mesmo assim, deixo a história da boneca de louça e do cavalo de pelo branco e bege, grandes companheiros de fantasias que embalaram a minha infância. Não os tenho mais, pena… mas estão regiamente guardados, na minha lembrança.

  62. Legos e mais legos…eram prendas para mim e para o meu irmão e a colecção ia crescendo e passávamos tardes inteiras a brincar. Claro que também me lembro muito do meu fogão, grande, de plástico. Fazia casas para brincar por todo o lado… tanto dentro de casa como no quintal e esse fogão ia sempre comigo. Bonita alcofa e bonita ideia a das pequenas histórias de recordações!

  63. Olá Inès
    Eu não venho concorrer mas venho dizer-te que também tenho um brinquedo que já era da Avó B e que me foi posto no sapatinho algures num Natal tinha eu 4 ou 5 anos!
    Trata-se dum fogão de ferro com forno e caldeira para aquecer a àgua e onde eu cozinhei algumas vezes para susto de toda a família! Agora vai passar para a M B quando ela fizer 5 anos! Beijinhos. Tia Ana

    • Oh, Tia Ana, não está escrito em lado nenhum que as tias não podem concorrer :) Eu lembro-me desse fogão. Devia estar na Covilhã quando lá passávamos férias. Que bom ainda o teres. Beijinhos.

      • Sim estava pois ele só veio para aqui quando nasceu a R. O Avô mandou restaurar a pintura sem desvirtuar nada o seu aspecto original. Continua impecável pronto para novos cozinhados. Vamos lá ver como se porta a nova cozinheira mas se sair à BiVó náo deve gostar muito de cozinhar!!!

  64. Eu adorava brincar com uma boneca loira que recebi quando tinha uns 6 anitos. Esta boneca com os seus 50 cm, um vestido rosa e um cheirinho a bébé vinha acompanhada por um carrinho de tecido com a bd do Charlie Brown. Este carrinho passeou a dita boneca por muitos sítios e por alguns anos.
    Hoje o conjunto boneca+carrinho “sofre” nas mãos da minha filha de 2 anos, e espero que sobreviva para que a minha outra filha de 6 meses também desfrute da mesma companhia.

  65. O frasco de fazer bolas de sabão. Eu e a minha irmã iamos para a varanda da casa dos meus avós e enchiamos a rua de bolinhas. Ainda hoje, aos 36 anos, tenho um na janela da cozinha. Se por acaso passares perto do Jardim da Estrela e vires bolas de sabão, sou eu!

  66. Os brinquedos que guardo na memória são uma boneca que levava uns discos e por isso cantava, uma alcofa que é agora usada pela minha filha mas que devido à idade, 30 anos, se está a desfazer, uma nova vinha mesmo a calhar, e as minhas caixas de costura.

  67. Olá Inês
    Essa alcofinha fez-me viajar até á minha infância, onde o meu brinquedo preferido era uma alcofa forrada pela minha avó, onde juntamente com ela viajava sempre um “careca” trazido de Espanha!!!! Saudades boas!!! Infelizmente já não a tenho, mas sempre que posso venho aqui namorar estas delicias!!!
    Boa sorte a todos os concorrentes
    MGP

  68. Olá!

    Venho a esta “casa” muitas vezes pois sou sempre muito bem recebida! Para além das surpresas de lindas palavras e lindas imagens têm, como hoje, lindas prendas. Muito obrigada.
    O meu brinquedo preferido foi um boneco, com chucha que chorava quando esta caía. Tinha um enxoval completo feito à mão. Muitos fatinhos de camisolinhas e calções em tricot! Tinha a malinha da roupa (em cartão e fecho em metal), tinha toalha para o banho e carrinho azul escuro para passear. Comia e fazia as suas necessidades tendo por isso que lhe mudas as fraldas de pano e alfinete de dama cuja cabeça eram bonequinhos em plástico. Gostava tanto dele, do “Pedro”! Agora ao escrever vou-me lembrando de mais e mais coisas que a minha mãe ia fazendo. Andava sempre comigo e, o engraçado é que passei esse gosto às minhas duas filhas mais velhas (hoje com 20 e 18 anos), que também tiveram (e ainda o têm) um “bébe” para cuidar e a quem a minha mãe, a sua avó, ainda fez mil coisas.
    Sempre brinquei muito e sempre brinquei muito com as minhas 3 filhas.
    Muito obrigada pela linda alcofa.
    Até sempre,
    beijinhos,
    Maria Antónia Forjaz

  69. Desde muito pequena que tenho um Nenuco que sempre adorei (tem a particularidade de o corpo ser de pano e apenas os braços, pernas e cabeça é que são “duros”). Este Nenuco foi baptizado com o nome da minha melhor amiga da altura, chamava-se Ritinha.
    A Ritinha acompanhava-me para todos os sítios para onde eu ia, desde um passeio ao parque até a uma ida ao médico.
    A dada altura fiquei bastante doente e tinha de fazer umas sessões de terapia muito dolorosas, assim, a Ritinha acompanhava-me e eu pedia às enfermeiras para fazerem primeiro o tratamento à Ritinha e, só depois, é que podiam fazer-me o tratamento.
    Lembro-me perfeitamente que quando tive varicela, fiquei num estado deplorável, cheia de borbulhas com IMENSAS comichões e muito irritada, vá daí achei que não era justo estar naquele estado e a Ritinha não me acompanhar; CONCLUSÃO… pintei milhares de bolinhas na cara, pernas e braços da Ritinha. Este foi um dos maiores erros que fiz (e do qual muito me arrependo) porque a Ritinha ficou para todo o sempre com as bolinhas (nunca conseguimos tirar as marcas da caneta de feltro roxa)…
    Entretanto, anos se passaram e Ritinha foi arrumada. No outro dia – já depois do nascimento da minha filha – a minha Mãe encontrou a Ritinha (cujas marcas de tinta roxa já estão muito dissipadas pelo tempo) e deu à minha filha que não a larga e anda com ela para todo o lado e a quem chama alegremente de Bebé (que acabou por ser a sua primeira palavra).

  70. que prenda tão bonita! obrigada!
    ora o mue brinquedo favorito era uma casa de bonecas da pinipon, vinda de espanha! mas como gostava mais dos playmobil na casa viviam os playmobil crianças (que têm tamanho aproximado aos pinipon!)

  71. Pois da minha infancia, trago boas recordações de alguns brinquedos. Uma barbie claro…quase novinha nem parece que já passou por 34 anos com alguns acessórios, tenho também ainda guardada, uma Nancy que já aqui se falou nelas…que dançadava ao som de uma cassete…..lol, mas os que realmente me lembro bastante bem, é de um carrinho de bonecas vermelho….tipo fechava guarda-chuva, como os que ainda hoje existem, mas em tamanho reduzido…..tenho pena de não o ter, pois foi um brinquedo com bastante uso….minha mãe conta que já tinha eu 12 anos e ainda andava dentro do carrinho, claro está que as bonecas andavam a pé….outro boneco foi o Topo Gigio, tive um com orelhas de esponja….antas saudades eu tenho dele….outro que tb teve muito uso que até acabou por ficar sem as suas orelhas! Só pra acabar e porque já me estou a estender nas memórias…tive e ainda tenho mais dois objetos com os quais brincava imenso um orgão ‘Bontempi’ lindissimo com o qual o Kiko brinca (de tempos a tempos…não quero que o estrague) e uma máquina de costura, versão mini, mas que cose realmente e acho-a um máximo comprada no bazar Paris, de onde saiam os melhores brinquedos…..será esta uma das razões pela qual sou apaixonada pela costura….. :)

  72. A minha brincadeira preferida envolvia um objecto, que só anos mais tarde entendi o verdadeiro envolvimento emocional que carregava. Sem saber, brincava muito com um pequeno berço de madeira, que teria sido esculpido à mão pelo meu já falecido avô materno. Berço esse, que teria servido para embalar longas sestas do meu tio, na altura recém-nascido. Olho agora para trás e imagino o saudosismo da minha mãe ao ver tamanho carinho dado por mim àquele pequeno berço, onde imaginava que uma boneca se transformava num bebé a ser embalado em sonhos de algodão doce.

  73. Tinha brinquedos favoritos com os quais brincava muito, como um urso castanho que quase se desintegrou e que a minha mãe deitou fora numas férias, para minha desgraça…. as Tuxas!…. E tinha um brinquedo absolutamente mágico, uma casa de bonecas em madeira construida por um amigo dos meus pais, com moveis e luzes que acendiam….. linda :) um sonho!!

  74. O meu boneco favorito era um cão de peluche, bege e preto totalmente sem graça (aparentemente) que eu escolhi no dia em q fiz um 1 ano. Conta a minha mãe que me largou numa loja no meio dos brinquedos, eu olhei para aquele e nunca mais o larguei!
    Ainda o tenho!

  75. O brinquedo preferido da minha infância, do qual tenho melhor memória, eram as bonecas de papel… como ainda não podia utilizar a tesoura pedia à minha mãe para recortar as bonecas que vinham num livrinho juntamente com os vários “outfits”… eram recortadas com muito cuidado pois tinham umas patilhas na vestimenta que se dobrava em cima da boneca, tudo em papel. Não duravam muito tempo porque as patinhas acabavam inevitávelmente por cair, mas mesmo depois de cairem, arranjava maneira de lhes colar os vestidos com fita adesiva. Adorava receber estar alcofa para a minha bebé Joana adormecer os bebés dela (embora ela mesma ainda caiba lá dentro). Parabéns pelo trabalho.

  76. Olá Inês, do que me lembro melhor e que adorava, era de brincar às lojas, com uma máquina registadora que fazia “plim!” e uma carteirinha vermelha de verniz que ainda existem ambas, em casa dos meus Pais… De boneca, tenho um carinho muito especial por uma pretinha linda feita de pano por uma vizinha nossa que fazia bonecos lindíssimos e que me ofereceu esta num aniversário. Ainda a tenho, já muito velhinha, mas ali está, no quarto da minha filha…

    Com intervalos ou não, adoro os seus posts, que recebo por mail e me deliciam, pelas belas fotografias e pelas ideias tão simples e tão bonitas… das suas alcofas, acho uma verdadeira ternura…

  77. O meu brinquedo favorito foi uma cama de bébés que o meu pai fez para mim e me ofereceu num Natal. Devia ter uns 6, 7 anos. Nunca mais me esqueci. Lembro-me perfeitamente de me entreter a arranjar um lençol , manta, almofada ou o que pudesse servir do género para pôr na cama. Já não a tenho e tenho imensa pena.
    Também tinha uma Cindy :) que era uma anteepassada remota da actual Barbie. A boneca já desapareceu mas guardei a roupa que ainda hoje tenho e confesso que algumas das peças não deixo que as minhas filhas brinquem com elas! Esquisitices … :)

  78. Ainda guardo uma ursa vermelha e branca que fez parte da minha vida durante anos, não como brinquedo, mas sim como companheira.
    A alcofa é linda e não a oferecia a ninguém, era para mim! : )

  79. O brinquedo que melhor me recordo da minha infância era um carrinho de bonecas azul escuro, com umas rodas enormes onde as bebés iam deitadinhas, tal como o carrinho que a minha mãe usava com a minha irmã mais nova. Por ser uma cópia fiel do real em tamanho miniatura fazia as delícias da minha pequena pessoa. Um dia, de manhã quando acordei gritei pela minha mãe e ela ao chegar ao meu quarto deparou-se com um cenário que nenhuma de nós queria acreditar. O carrinho/alcofa era palco do nascimento dos 5 gatinhos da nossa gata. Ali fizeram o ninho e foram crescendo até se tornarem independentes. O carrinho… ainda o tenho para um dia as minhas filhas brincarem como eu brinquei. Precisa apenas de um tratamento para a ferrugem. É lindo e a minha mãe guardou-o com imenso carinho. :-)

    P.S. – A alcofa é linda. Parabéns pelo blog.

    Beijinhos

  80. Olá! A minha preferida era uma boneca misnuscula, daquelas que cabiam numa caixa de fosforos, com o corpo em pano. Encontrei-a no chão e a miha avó recuperou-a. Nunca mais a larguei :-))) Parabéns pelo blog, adoro as tuas fotografias ;-)

  81. O brinquedo que deixa recordações e saudades?? Uma barriguitas “básica” com uma camisolinha rosa, que hoje anda nas mãos da minha filha :D
    A alcofa é linda!!!
    Pode ser que tenha sorte ;)

  82. Olá Inês! Que alcofa tão bonita! A maioria dos brinquedos que tive eram quase todos em 2ª mão, os brinquedos novos eram oferecidos pela minha tia, no Natal. Os meus pais quase sempre nos ofereciam roupa nova. Mas recordo muito bem um Natal em que a minha mãe nos ofereceu, às duas minhas irmãs e a mim, três embrulhos, vimos logo que não era roupa, era um dominó, uma alcofa pequenina com um bebé e uma caixa de legos. Quando me lembro de brinquedos de infância, são estes três que me vem sempre à memória. Ainda os temos guardados! Muitos parabéns pelo seu trabalho. As alcofas são tão bonitas!

  83. inês,
    as minhas recordações de infancia não passam por brinquedos mas por momentos a brincar. lembro-me de brincar na paria até ser noite, correr com a minha mãe e irmã no campo e sentir o vento na cara e pensar que estava muito feliz, lembro-me de dançar muito ao final do dia quando a minha mae chegava a casa abraçada e rodar muito, lembro-me de cantar com a minha mãe e ouvir muitas histórias. tambem recordo brincadeiras no carro quando as viagens eram muito longas. boas recordações me empresta a minha infancia.
    bjs sofia rodrigues

  84. É difiícil. Tenho boas memórias de muitos brinquedos. Se tivesse de escolher, talvez a pantera cor de rosa de peluche. =)

  85. Na verdade, não me recordo bem se havia algum brinquedo favorito…isto porque emigrámos quando era pequena e com a ida e volta muito se perdeu.Acho que os meus brinquedos favoritos sempre foram os meus dois irmãos, desde o seu nascimento foi com eles que brinquei sempre, eram os meus bebés, embora tenhamos 3 e 6 anos de diferença :) Acho que cresci muito rápido e brinquei pouco com brinquedos, talvez por isso fique deliciada sempre que vejo coisas tão bonitas como as suas alcofas. Beijinhos

    P.S. Como não tenho pág. no facebook usarei a do meu marido para fazer like na sua..

  86. Lembro-me tão bem da minha “Camila Mila”. Uma boneca de tecido com cabelos de lã (a cara era de borracha). Já não a tenho, mas sempre que penso na minha infância, a boneca vem-me sempre à memória. Até do dia em que a recebi, uma manhã de Natal, muito cedo. A minha era rosa, a da minha irmã amarela. Ainda me lembro da música, dos anúncios. :))

  87. Tenho muito boas recordações de ser pequena. Uma caixa de cartão cheia de binquedos antigos que tinham sido da minha mãe, eram pratos pequeninos, chávenas e outras miniaturas, que eu e a minha irmã despejávamos pelo chão. E um dia os meus pais queriam dá-lo, ao caixote cheio de miniaturas. E eu rompi num pranto “que deitavam fora a minha infância”! Mas lembro-me dos Legos, da Tuxa que era morena e da Nancy a quem pintei os olhos tanto que colaram abertos, e a quem cortei o cabelo na esperança que, se puxasse com jeitinho, ele voltasse a crescer… Da minha mala de médico! Os Barriguitas e seus acessórios e roupinhas (tinha todas porque a minha mãe trabalhava numa loja de brinquedos e guardava para mim todas as novidades), esses guardo para a minha pequenina Olivia (que já está grande para a alcofa que lhe fez a Inês). Mas o que guardo de forma carinhosa, o boneco que não deixarei a Olivia destruir, é um coelhinho de peluche cinzento, hoje puído e velhinho, chamado Calinas. Um que a minha irmã quando me queria torturar pendurava pelo rabo ou orelhas, e eu sofria e fazia o que me mandassem. Esse é o meu brinquedo favorito, e não fazia nada mais do que me acompanhar o sono.

  88. Ola, eu tamén son da época da Nancy…Aínda lembro un vestidiño curto tipo jackie O cor verde auga con brillos e cun echarpe a xogo…estragueino a cabo dos anos dadolle coa prancha. Aqui en España tiñamos tamén unha cousa chamada os “maletíns da señorita Pepis” que adoraba…

  89. Olá Inês! Ai ai..os meus brinquedos. Eu ainda hoje adoro brinquedos. Os que me tiram do sério: kits de “fazer qualquer coisa”, e bebés. Bonecas/os bebés, as roupinhas, as camas, os acessórios, os sapatinhos. O brinquedo que mais me marcou foi um baby born, um bebé quase real, que chorava lágirmas se eu lhe desse água, bebia e comia (trazia papas verdadeiras que se misturavam com água) e fazia cocó e xixi num pote. Tinha fraldas reais e um babygrow de turco. Marcou-me por duas razões: foi a primeira prenda que pedi mesmo aos meus pais. Era muito caro e eu nunca pensei que o pudesse ter mesmo, mas tive, e aí entra a segunda razão: recebi-o no Natal de 93, ano em que, 2 dias depois, a minha família rumou a Macau, onde passei o resto da minha infância. O bebé acompanhou-me na viagem, na chegada ao hotel. Enfrentou o jetlag, as crises de choro de saudades da prima, a tristeza de ter medo de não me adaptar à nova escola. E depois viu adaptar-me, e passar os melhores anos da minha vida. Ainda o tenho em casa dos meus pais. Continua a ser lindo.

  90. O meu brinquedo preferido: uma moranguinho (a cheirar a morango, claro!)
    Despedi-me dela uma noite para a pôr a dormir numa gaveta num quarto de hotel… Ainda hoje ao ver a moranguinho me lembro do quanto gostava dela e de como andava sempre com ela para todo o lado. (Os legos também eram a perdição, todos os natais o chefe da minha mãe oferecia :) )
    Como abandonar um caderno branco tão cheio de cor?

  91. Olá.
    O meu brinquedo favorito, o que mais me marcou, foi um “boneco careca” (daqueles que eram do tamanho de um bebé verdadeiro) que recebi num Natal por volta dos meus 8/10 anos. Ainda hoje o tenho.

  92. Assim de repente eram dois: um carrinho de bonecas azul escuro, igualzinho aos verdadeiros carros de bebés, com capota e rodas brancas e uma estrutura em madeira, de casa de bonecas, com papeis de parede completamente anos 70. Quando recebi a casa, ardia em febre por causa da papeira e quase nem consegui reagir ao presente. mas lembro-me de ficar a olhar para ela infinitamente. Depois, já curada fiz-lhe mobílias com os legos. O carro, brinca agora a minha filha com ele. A casa apodreceu e partiu-se para meu desgosto.
    As tuas alcofas são irresistíveis assim como todo o teu trabalho!

  93. A Nancy que um dos meus tios me ofereceu e a boneca que falava que a minha mãe me trouxe de uma viagem. E um cobertor de crochet hoje transformado em almofada e que era muito multi-usos para aquelas bonecas :)
    A alcofa, se tiver sorte, vai ser para a minha afilhada!

  94. Acho que o meu brinquedo favorito foi o carrocel dos barriguitas. Eu adorava a música e a representação étnica de cada barriguita (sim, até nessa altura eu achava interessante as diferenças e semelhanças entre todos…era o princípio da minha carreira). Tenho saudades das horas passadas a brincar com ele…
    PS – A minha bebé Isabel iria, de certeza, adorar a alcofinha giríssima deste passatempo :) parabéns pelo teu trabalho!

  95. Antes de mais, a alcofa é lindíssima! Embora não possa participar, uma vez que não tenho FB (que vergonha!), não resisto a comentar! Não tinha propriamente um brinquedo favorito, mas lembro-me que tinha uma predilecção por Legos e pelas minhas bonecas/”filhas”. :) Ai, e adorava calquitos! (que nostalgia!)

  96. O meu brinquedo favorito era o Becas. Um boneco vermelho com orelhas redondas, tão velho quanto eu: nos primeiros meses da minha vida dormia comigo mas, com o meu crescimento, tornou-se um companheiro tanto nos passeios de triciclo, como nos chás de bonecas.
    Apesar de muito gasto e velhote, ainda o guardo como recordação.

    PS: a alcofa é linda!

  97. Parabéns pelo lindo blog :)
    o meu brinquedo preferido era ou melhor é um boneco “Chorão” ….para além de que a minha avózinha querida fazia para ele, em tricot e crochet, uma série de fatinhos…que saudades!!!

  98. Eu não sei qual era o meu brinquedo favorito. Eu acho que era uma boneca (bastante feia) que ainda guardo, mas tenho a impressão que ela resistiu porque a minha mãe a escondia, já que a minha irmã tinha tendência para destruir todas as bonecas, mas eu não me lembro de brincar com ela. Parece que também nutria um amor incondicional por um livro de BD da abelha Maia, mas não sei se é mais uma memória construída (pelo que me contam e por uma fotografia minha, em que o estou a ler no meio da rua encostada a um carro).
    Do que me lembro bem é de adorar brincar com as minhas primas e a minha vizinha no campo. De brincar ao faz de conta, de correr pelo meio das vacas. Por isso, é provável que eu não tenha um brinquedo favorito, ou que me tenha deixado grandes recordações, mas guardo recordações maravilhosas de brincadeiras, de mundos de fantasia incríveis.

  99. que alcofas tao bonitas, inês! :)
    o meu brinquedo preferido era uma boneca, a nancy, nao sei se alguém se lembra.
    mas ao ler o comentario da silvia sobre a bota botilde nao pude deixar de sorrir, tinha uma roxa e amarela, creio, que estava completamente aberta à frente de roçar no chao, de tanto saltar :)

  100. Olá! O brinquedo que me vem de imediato à cabeça é uma boneca, chamada Joana, como eu, e o respectivo carrinho. Não me lembro da boneca tanto pela brincadeira, mas pelo quanto desejei tê-la, e por quanto tive que esperar para a receber. Recebi-a num natal, e sabia que a ia receber, mas lembro-me de ter saboreado com enorme ânsia o tempo que esperei, e sentir quando a recebi, a felicidade extrema, e o sentimento de que tinha valido a pena. A minha mãe deu-me a boneca e o meu pai o carrinho. Eles tinham-se separado há pouco tempo, e darem-me aquele presente em conjunto fez-me sentir que estavam os dois comigo. Durou pouco esse sentimento, mas no momento foi bom! A Joana era uma boneca perfeitamente normal, a quem se dava biberon e ela fazia xixi. Depois de crescer, nunca mais a vi.

  101. lembro-me de um boneco recém-nascido realista que recebi um certo natal. perdi-lhe o rasto. algumas das minhas brincadeiras preferidas envolviam playmobiles, talvez fruto de só ter irmãos rapazes.
    obrigada por fazeres com que tenha sempre vontade de voltar a este blog : )

  102. Ena! Bota botilde? Alguém se lembra? Uma coisa de plástico com uma bota no fim que rodava à volta da perna? Treinava para ser a mais rápida de entre os primos e fazer mais voltas. Não sei se era ou não o meu brinquedo favorito, mas lembro-me como se fosse agora da sensação de saltar repetidamente com a bota a rodar, a roda, a rodar…seria zen? ahahahah, parece que não:D

  103. o meu brinquedo favorito era um cavalo de baloiço de madeira, com uma crina feita de ráfia. quando a minha irmã nasceu ofereci-lho, como quem dá um tesouro. perdeu-se, entretanto, por esse mundo fora. e o que eu adorava que ele voltasse a cavalgar para o meu filhote.

  104. Olá
    Um dia o meu pai chegou a casa com uma série de tábuas de aglomerado. Pegou em pregos e não tarda nascia uma grande casa de bonecas (era quase da mesma altura que eu!). A minha mãe pegou em restos de papel de parede e com ele forrou algumas das paredes da casa e para terminar arranjou-me uns sofás em esferofite cobertos de tecido.
    A melhor prenda e o melhor brinquedo de sempre. Só foi pena as aptidões de carpintaria do meu pai não serem melhores, ela não resistiu até à minha vida adulta. Mas não faz mal, peguei numa estante baratinha do ikea e comprei umas tabuas de madeira para fazer um telhado que pintei de vermelho e já tenho a minha casa de bonecas outra vez. Deixo os miudos brincarem lá, mas é a MINHA casa de bonecas :)

  105. Não tive um único brinquedo que me marcasse mais que outro.
    Eu e a minha irmã, às vezes, decidíamos andar com um dos brinquedos do nosso quarto por dia. Assim dávamos a mesma atenção a todos. ;)
    Gostava de imaginar que quando adormecia ou saía do quarto eles ganhavam vida, por isso devia tratá-los bem para gostarem de mim :P
    Não tenho filhos, mas tenho priminha e um “bebé na cabeça que ainda há-de ser feito” ;)

  106. O brinquedo que mais gostava na infância era um pequeno piano azul que ganhei dos meus avós. Até hoje nao sei tocar piano, mas como aquele brinquedo me encantava!

  107. Olá!
    É a primeira vez que faço um comentário aqui, mas acompanho o blog e adoro as alcofas!
    O brinquedo que melhores recordações tenho são os animais “sylvanian families”. Tinha várias famílias de animais diferentes e adorava brincar durante horas, às casinhas com eles.
    Parabéns pelo trabalho tão bonito,
    Sara http://www.infanta.blog.pt

  108. o meu brinquedo preferido era um cavalo de madeira,no qual eu baloiçava entusiasticamente. Tão entusiasta eu era,que uma vez o balanço que dei foi tanto,que caí para a frente. E os meus pais acharam por bem eu não ver mais o cavalo… parabéns pelo bonito trabalho,nas peças e no blogue :)

  109. O brinquedo de infância que me deixa melhores recordações e mais saudades da infância, era sem dúvida a minha Barriguita a quem chamei de Carolina. E todos os acessórios dela. Até apontava na agenda (da Mafalda) quando é que tinha que a levar ao médico!

  110. Na prateleira do meu atelier está um urso, um urso com 30 anos. Acompanhou me sempre, desde a casa dos meus pais até esta minha casa. Está lá, longe das mãos dos meu filhos que adorariam brincar com ele mas não pode, tem 30 anos, idade avançada para um urso, de brincar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s