Sul

sul by you.

sul by you.

sul by you.

sul by you.

sul by you.

Há alguns bocadinhos do Algarve que ainda resistem ao turismo de massas e ao descalabro urbanístico. Terras pequenas onde os autóctones são a maioria que ocupa os cafés, a praça e as sombras. À hora da sesta os homens fazem campeonatos de jogo da malha e as mulheres conversam no largo principal da vila. Ainda há muitas casas com janelas lindíssimas de madeira e os telhados são um mundo paralelo de açoteias brancas onde se estende a roupa e se assam sardinhas.

Infelizmente o que se sente é que nada disto durará muito tempo. A nova moda de portas pavorosas que vieram fazer companhia às de alumínio são as portas à Downing Street e belas casas com cem anos ou mais são deitadas abaixo para se construírem blocos de apartamentos (até tremo quando oiço esta expressão).

Um dia restará a memória. E as fotografias.

– – –

As grandes novidades: a R. mexeu na areia pela primeira vez (e não quis comê-la). E a L. perdeu o medo do mar.