Ilustração

ilustração by you.

ilustrações by you.

Andei a mexer em revistas antigas e descobri uma Pais e Filhos dos anos 90 com uma ilustração minha. Fiz muitas durante uns dois anos mas estranhamente só tenho uma dessas revistas. Fui procurar e encontrei alguns dos originais que não via há anos.

Fiquei com saudades do desafio que era ilustrar cada texto que me davam. Mas principalmente fez-me sorrir o lembrar-me de como era totalmente teórico o conhecimento que eu tinha dos temas da revista – famílias tradicionais versus famílias modernas; a loucura da gestão do tempo quando se é mãe; ser mãe e mulher trabalhadora; qual a melhor forma de mostrar o mundo aos nossos filhos; etc.

Hoje, ao olhar para estas ilustrações, vejo como elas passaram a ilustrar bem a minha vida actual. Até a fita métrica lá está!

Da comida

Eu, que sou olhada um pouco de lado por muitas pessoas por ter tantas preocupações com a alimentação, nomeadamente com a alimentação das minhas filhas, estou farta de me esforçar por entender como é possível achar-se normal que as crianças de 2, 3, 4, e 5 anos comam regularmente na escola coisas como tulicreme, leite com chocolate e batatas fritas. E, apesar do esforço, continuo sem entender.

Pior ainda é quando as crianças que têm hábitos mais saudáveis como comer vegetais em todas as refeições, beber leite sem nada acrescentado e saber que os doces são para dias especiais, são vistas pelos adultos como pobres desgraçadinhas por lhes estar a ser negado o melhor da vida. Não está. O melhor da vida não é, não deveria ser, não pode ser estar-se viciado em açúcar, sal e gorduras quase desde que se nasce. Eu, que me sinto cada vez mais um misto de convicção e lirismo (para o bem e para o mal), continuarei, apesar de dar mais trabalho do que comprar chocapic e coca-cola, a promover cá em casa o entusiasmo pela chegada da fruta de Verão e por comer cenouras cruas lavadas no chafariz do jardim.