Bules e gorros

bules by you.

gorros by you.

Longe de me apetecer já o Inverno, passei o dia a pensar nele. E em gorros grossos de lã. E em bules de chá.

Estes são de plástico e vieram da Guiné Bissau onde são usados pela população muçulmana para a lavagem de pés e mãos que precede as várias orações diárias. Adoro-os. Pelas cores e pelo insólito de serem de plástico. A L. gosta deles pela escala, igual à dos a sério e gigante perto das chávenas pequeninas das bonecas.

Os gorros tricotei-os há uns meses já a pensar no próximo Inverno. Têm o modelo mais simples e o meu preferido. Em quatro anos de vida a L. já teve uns dez, de várias cores, com riscas e sem riscas, com pompons e sem nada.

Pensar em lãs e tricot ajuda-me a aceitar melhor o facto de que um dia destes vai ser Inverno outra vez.

Alinhavando

Como é que eu, que adoro alinhavar, ainda não tinha descoberto que para fazer mantas de retalhos são precisos muitos metros de alinhavos?

E também gosto das palavras:

ALINHAVAR – Preparar para a costura, ajustando e dispondo a pontos largos; delinear [Da expressão (coser) a linha vã] *

ALINHAVO – Acto ou efeito de alinhavar; costura provisória a ponto largo para guiar a costura definitiva; [fig.] esboço *

* in Dicionário da Língua Portuguesa – Porto Editora

– – –

E agora que vem aí o calor, uma questão importante:

Estima-se que, só nos Estados Unidos, são deitados fora mais de trinta milhões de garrafas de plástico POR DIA. É assustador.

Cá em casa, a partir deste Verão, deixaremos de contribuir para isto. Aqui há garrafas para todos os gostos. As que nós escolhemos são lindas!